O DOCE OFÍCIO, PÃO QUE NOS ALIMENTA

Por Warcelon Duque

 

“A arte de um Povo é o reflexo autêntico de sua Mentalidade”
Jawarharlal Nehru

Assim que participei da primeira reunião deste Forum, aprendi duas coisas das quais jamais poderei esquecer: a primeira é que esta é uma Entidade legítima e consolidada pelos seus dez anos de existência e luta pela Cultura no estado de Goiás; a segunda é que, dentro do âmbito deste Forum, o “eu” e o “você” não podem existir isoladamente, e todo verbo deve, inevitavelmente, ser conjugado na “primeira pessoa do plural”, para que a sua conjugação tenha a legitimidade garantida.

Nós estamos tão acostumados com a exclusão que até suspeitamos de uma inclusão tão expontânea e imediata. Eu teimo na ousadia de dizer que apenas uma entidade que tem por mais valoroso um “Coletivo de Pensamentos” que a vontade de um único indivíduo tomaria tal ação: agregar ao seu corpo todos aqueles que, simplesmente, o queiram. É preciso algo mais do que isso? Nós sabemos que é difícil conviver em um Coletivo, dado que somos humanos, e a vaidade é a nossa maior característica. Mas é no todo que nos encontramos. E em meio ao alvoroço desses tantos pensamentos, inevitavelmente, nascerão as nossas grandes idéias. E que venham as grandes idéias, Eureka!

Quando tratamos de um Coletivo de artistas e profissionais da Cultura, nosso Universo se expande para um cosmo ainda maior, dado que somos estrelas, e não vejo função maior para tais corpos celestes que brilharmos e sermos contemplados. Mas não podemos nos esquecer que toda estrela nasce de uma grande explosão. E é chegado o grande momento de explodirmos para então nos tornarmos aquilo que viemos para ser.

Os dias que virão exigirão de todos nós mais que uma simples aliança, mas cumplicidade entre os nossos membros. E só há cumplicidade verdadeira quando vivemos juntos algo de expressivo valor. A construção do Forum Permanente de Cultura é o que há de mais valoroso para vivermos juntos. Por isso mexamos e remexamos, mas que sejamos todos ou ninguém. Não deixe de dizer, se você julga isso importante, mas participe. Um objeto de desejo só tem valor verdadeiro quando pode ser tocado. Antes disso, não passa de um sonho. Não deixemos que a nossa luta torne-se um sonho impossível porque alguns de nós não ousaram tocá-lo.

Picasso disse que “leva-se muito tempo para nos tornarmos Jovens”. Eu digo que não é fácil ser jovem. E nem todos conseguem sê-lo, pois a juventude não está na idade. Ser jovem é gerar mudanças, e mudar o que já tem a sua forma implica em muitas responsabilidades. Quer responsabilidade maior que viver? Quem nunca passou diante de uma tela ainda a ser pintada, com algumas dezenas de tubos de tinta e pincéis espalhados ao seu redor e não sentiu vontade de dar uma única pincelada, mesmo que escondido, quando ninguém estiver olhando? Escondido é sempre mais gostoso! Acho que a vida é uma infinidade de quadros iguais a esse e, acreditem, enquanto alguns transbordam em cores e formas, a grande maioria deles completam a sua existência ainda sem um único rabisco para fazer jus a sua passagem.

A arte está no encantar, no fazer sorrir, no fazer chorar. A arte liberta as almas mais cativas. Dizem até que esta é o melhor remédio para todo tipo de amargura ou pesar. E a sua fonte é inesgotável. Quer remédio melhor do que esse? A arte é a fonte que nos serve de vida e deleite. Mas como nada nos é totalemente gratuito nessa vida, por tamanha ousadia, por levantarmos tão cobiçado estandarte, recebemos o doce e eterno castigo de “Não permitir que o mundo se esqueça que existe o Prazer”. Pai, traga pra mim este Cálice! Mas que seja servido de um bom vinho.

Patch Adams se fez médico para garantir aos seus semelhantes o direito à vida. Mas de que vale a vida sem a alegria de viver? Logo, se fez palhaço para mostrar a todos que a vida, sem a arte, não tem graça nenhuma.

Anúncios
This entry was posted in Uncategorized by FPCGO. Bookmark the permalink.

About FPCGO

O Fórum Permanente de Cultura é um movimento que surgiu em Goiânia no final dos nos anos 90 e teve como principal resultado de luta a aprovação das leis de incentivo à cultura em Goiânia e em Goiás. À época, o movimento se reunia todas as terças-feiras no Centro Cultural Martim Cererê onde planejava ações políticas e exercia o debate permanente em defesa da cultura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s